Borat – Resenha Crítica 1

RESENHA CRÍTICA DO FILME “BORAT”
por Luis Pires – Jornalista e Crítico de Cinema
e-mail: lpires@uol.com.br

BORAT: O Segundo Melhor Repórter do Glorioso País Cazaquistão Viaja à América é um filme diferente de todos aos quais você possa ter assistido. Borat Sagdiyev é um jornalista que viaja aos Estados Unidos, a mando do Ministério da Informação do Cazaquistão, para tentar compreender o “American way life”. O personagem foi idealizado pelo que se chamou de uma “equipe cômica dos sonhos”, formada pelo humorista Sacha Baron Cohen (apresentador do programa Da Ali G Show, sucesso nas TVs por assinatura da Europa), pelo diretor Larry Charles (de Seinfeld) e pelo produtor Jay Roach, que dirigiu a série de filmes Austin Powers.

O filme foi concebido com a idéia de fazer com que as pessoas acreditassem que Borat fosse realmente um jornalista cazaque gravando um documentário para a televisão do país. Para evitar futuros processos judiciais, a produção apresentava um contrato-padrão para ser assinado pelos entrevistados. Em seguida, entrava em cena Borat. Não havia roteiro a seguir, apenas argumentos. Os acontecimentos reais se sucediam geralmente de maneira inesperada, o que obrigava Baron Cohen ao improviso, dando novos rumos às cenas. Com seu jeito meio abobado, de quem finge não entender a América, Borat fazia com que as pessoas “baixassem a guarda” e expusessem todo racismo, anti-semitismo, homofobia e outros sentimentos sórdidos que marcam o pensamento de parte da população dos Estados Unidos.

Em território americano, Borat empreendeu uma viagem de Nova York à Califórnia e foi destruidor por onde passou. Participou de uma Parada do Orgulho Gay em Washington, D.C.; enfureceu a platéia de um rodeio em Salem, Virginia; constrangeu participantes de um jantar em Birmingham, Alabama, onde pretendia aprender a arte de portar-se à mesa; simulou uma briga com seu produtor num hotel de luxo, na qual os dois invadiram corredores totalmente nus; e acabou com a tarde de autógrafos de sua musa Pamela Anderson num magazine californiano.

Por essas e outras, por onde andou a equipe teve problemas com as autoridades locais, sendo que alguns integrantes chegaram a ser presos e ameaçados de deportação. Só para se ter uma idéia, num determinado momento, doze carros da polícia acompanhavam o caminhão de sorvete no qual Borat fez grande parte de sua viagem. E nem mesmo o FBI, que o interrogou, conseguiu descobrir que se tratava de um personagem fictício.

O comprometimento de Baron Cohen com Borat foi intenso e sua brilhante atuação lhe valeu o prêmio Globo de Ouro como melhor ator de comédia ou musical. Mas também a ira do governo do Cazaquistão, que lhe declarou inimigo público número um.

Ousado, subversivo e revolucionário, Borat: O Segundo Melhor Repórter do Glorioso País Cazaquistão Viaja à América estréia nos cinemas brasileiros no dia 23/02. Vale a pena conferir. É diversão garantida.


Cena do filme Borat – Foto Divulgação

Filme:

Ótimo:
Bom:
Regular:

Crítico: Luis Pires – Jornalista e Crítico de Cinema – e-mail: lpires@uol.com.br -blog: www.eliberoquestoposto.zip.net

Mais informações, acesse: http://www.cranik.com

Published in: on 7, abril 2008 at 7:37 pm  Deixe um comentário  

The URI to TrackBack this entry is: https://cinemagister.wordpress.com/2008/04/07/borat-resenha-critica-1/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: